[vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_column_text]

Medicina Tradicional Chinesa

[/vc_column_text][vc_separator color=”peacoc” align=”align_center”][vc_column_text]medicina chinesaA Medicina Tradicional Chinesa (MTC) também conhecida por Medicina Chinesa, nasceu há milhares de anos, sendo a terceira mais antiga prática médica do mundo, ficando atrás apenas da Medicina Egípcia e a Babilónica, que são ainda anteriores. O facto de ser muito antiga e manter-se ativa durante todos esses anos, fez com que a suas técnicas e aplicações fossem sendo aperfeiçoadas. Beneficiou em muito também por fazer fronteira com diversos países e culturas diferentes, assim como pelas condições climatéricas de toda a China, passando pelo deserto à neve, regiões planas e montanhosas, o que fez com que a Medicina Chinesa se tornasse numa prática bastante ampla e eficaz em diferentes tipos de patologias e doenças, desenvolvendo diferentes tipos de terapêuticas para as mais diversas e variadas situações.

Além da magnífica vertente terapêutica, a Medicina Chinesa atua de forma esplendorosa na prevenção de doenças e na manutenção do estado de saúde. O Qi Gong (Chi Kung) e o Tai Ji (Tai Chi), com toda a sua história de proibição por parte do império Chinês, constitui hoje um reconhecimento inigualável a nível mundial. Tanto o Qi Gong como o Tai Ji podem ser praticados de forma assídua, tanto para a prevenção como para a manutenção da saúde, através de exercícios e movimentos específicos direcionados ao desequilíbrio energético individual de cada um. É comum vermos nos dias de hoje indivíduos ou grupos a praticarem Chi Kung ou Tai Chi nas praças, jardins e ginásios por todo o mundo. Ainda assim, não são apenas as práticas energéticas que atuam de forma preventiva. Toda a MTC através das suas mais variadas “técnicas”, é eficaz na prevenção, uma vez que o diagnóstico da MTC permite identificar sinais e sintomas fornecidos pelo organismo, por vezes muito antes de uma doença se manifestar. A MTC previne doenças ao atuar nestes desequilíbrios.

A par das práticas energéticas Chinesas, outra área muito bem estudada e desenvolvida foi e é, a Dietética, Nutrição ou Terapia Alimentar Chinesa. Com base em toda a teoria da Medicina Tradicional Chinesa, a Dietética Chinesa é parte fundamental de qualquer tratamento, indo inclusive de acordo com o que disse Hipócrates, o pai da Medicina “Que o teu remédio seja teu alimento, e que o teu alimento seja teu remédio”. A alimentação dos nossos dias, seja por conta dos “fast foods” ou dos “químicos” utilizados na agricultura, estão contaminadas de toxinas e de informação contrário à do nosso organismo, pelo que uma dieta equilibrada e quanto mais livre de “químicos” melhor para nós e para toda a geração futura.

De todas as “ferramentas” da Medicina Tradicional Chinesa, aquela que é mais conhecida da população Ocidental é a Acupuntura, sendo já praticada nos dias correntes por profissionais de diversas áreas médicas por todo o Globo Terrestre. A Organização Mundial de Saúde (OMS) já reconheceu e comprovou publicamente por diversas vezes a eficácia da acupuntura para diferentes tipos de maleitas, sendo que esta listagem de patologias tratáveis com acupuntura cresce a cada dia.

A Moxabustão é outra técnica que caminha lado a lado com a acupuntura. A Moxabusão é também uma técnica muito antiga da Medicina Tradicional Chinesa que visa a combustão de artemísia – planta usada para a realização da Moxabustão – sobre determinado ponto ou área do corpo. São inúmeras as aplicações e ainda mais variadas as maneiras de aplicação e utilização da Moxa (artemísia). Esta produz um calor que pode tanto tonificar e nutrir o QI (energia) como pode favorecer a dispersão e o livre fluir do QI pelo organismo ou em determinado local. A Moxabustão é praticada em muitos Mosteiros ou Templos Chineses para a prevenção e tratamento de doenças, como também é utilizada em rituais sagrados pelos Monges e pela população local.

Tradicionalmente a Medicina Chinesa tem como base as leis da natureza e do universo, leis essas que devem ser seguidas diariamente pelo ser humano de forma a estar em ressonância com o cosmos e consequentemente com a sua organização tripartida – Espírito, Alma e Corpo. Essa “ligação” foi se perdendo ao longo dos anos e dos tempos com a deterioração dos princípios individuais e coletivos, assim como a perda do objetivo de vida. O materialismo desencaminhou grande parte da população para a via do TER, esquecendo a realização pessoal e o princípio do SER, o que vem a ser uma das grandes causas de muitos dos distúrbios e problemas de hoje. Todo o ser humano é parte integrante do universo, assim como o próprio universo está presente nas nossas células, ou seja, dentro de cada ser humano, e uma vez perdida a conectividade, surgem manifestações psíquicas e energéticas desencadeando a doença. Torna-se assim extremamente importante o ser humano retornar à tradição e voltar a estar em harmonia com a natureza e com ele mesmo.

A MTC tem como principal objetivo, promover o equilíbrio e a homeostasia energética e fisiológica do ser. Através do qual não há espaço para a doença. Porém para que tal aconteça, o indivíduo não deve apenas confiar a sua saúde no profissional de saúde, seja ele de Medicina Tradicional Chinesa ou de outra área médica, deve pois tratar-se diariamente em casa ou no trabalho, durante o dia-a-dia, tendo uma alimentação saudável evitando os excessos alimentares, cuidando da saúde com exercícios físicos, ingerindo líquidos (água), ter bons pensamentos e boas ações, assim como não se deixar afetar pelas emoções. Tudo isto resume-se pela expressão que diz: “Deve-se a cada segundo, cultivar a saúde do corpo e da mente.”

Indicações:

 Largamente estudada e reconhecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a MTC possui hoje, mesmo a nível Ocidental, um valor inegável. De tal modo que a própria OMS emitiu, já há alguns anos, uma lista em que reconhece a sua eficácia em patologias tais como:
– Bronquite, pneumonia, asma, rinite, sinusite, tosse, gripe, otites, tinitus (zumbidos);
– Hipertensão arterial, angina de peito, insónia, cefaleia, depressão, neurose psiquica, tonturas e vertigens;
– Úlcera peptídica, disfunção biliar, diabetes mellitus, obstipação, hemorroidas;
– Acne, dermatite, celulite, obesidade;
– Reumatismo, torcicolo, dores articulares, prostatite, incontinencia urinaria e fecal, enurese, ciática, polinefrite;
– Alcoolismo e tabagismo;
– Má posição fetal, síndrome de ménierre, nevralgia do trigémio, tenossinovite;
– Impotência sexual, problemas menstruais, síndrome menopausica e patologias da mama.

Quando procurar ajuda com a Medicina Tradicional Chinesa?
A MTC pode ajudá-lo sempre nas mais variadas situações e doenças. Como em qualquer género de tratamento, seja a base de fármacos ou natural, o quanto antes procurar ajuda, melhor. A resposta do organismo será sempre mais rápida em uma situação aguda do que na crónica. Não espere até que os seus sintomas estejam insuportáveis para procurar ajuda.

Porquê tratar-se com a Medicina Tradicional Chinesa?
São muitas as pessoas que recorrem a MTC e a todas as terapias alternativas / complementares, sendo notório o crescimento da procura para este género de tratamentos.

Reconhecimento – A MTC é reconhecida e recomendada pela Organização Mundial de Saúde e já por muitos países como uma terapia eficaz no tratamento de inúmeras patologias.

Segurança – Os tratamentos e materiais utilizados são seguros e sem efeitos secundários para o organismo.

Livre de químicos, é natural – A MTC não utiliza de fármacos ou químicos nos seus tratamentos. É tudo natural e de acordo com a natureza humana.

Autossuficiência – Seja médico de si mesmo. Aprenda a compreender o que o seu organismo necessita e como atuar em determinadas situações através da alimentação e dos cuidados que pode ter em casa e no seu dia-a-dia.

Individualização – Todos os tratamentos realizados são individuais e específicos para cada um. Não se aplicam protocolos ou tratamentos pré estipulados. Cada ser é único e apresenta características próprias do seu estado e condição.

Resultados – A MTC resulta. Quase todos os dias aparecem estudos científicos sobre a eficácia, seja na acupuntura ou em qualquer outra das suas vertentes terapêuticas.

Integral – A MTC é completa e vê o Ser Humano como um todo, sem separar ou individualizar os sintomas e manifestações da origem e causa do mesmo. A Medicina Tradicional Chinesa compreende que em um corpo são e uma mente sã não se desenvolvem doenças. Logo, é preciso cultivar o estado de saúde ao invés de atacar o efeito da falta de saúde (doença/sintoma).

Consciência – Um bom terapeuta de MTC com certeza irá ajudá-lo a elevar o seu estado de consciência, abrindo a mente para um mundo por vezes esquecido ou negligenciado da grande maioria da população. O que irá favorecer o conhecimento de si mesmo e de tudo que o rodeia.

Relaxante – A consulta e o respetivo tratamento de MTC relaxa tanto o corpo como a mente. É ideal para limpar o corpo de energias negativas e ver-se livre do stress diário.

Ampla – A Medicina Tradicional Chinesa engloba todas as áreas. Tudo é importante para um bom diagnóstico e tratamento. Desde a alimentação, as emoções, sono, excreções, entre outros. Trata homens e mulheres, crianças, adultos e idosos.

Recuperação – A MTC ajuda-o não somente na prevenção e no tratamento de diversas doenças, como também é uma excelente opção para a recuperação de doenças ou ainda processos cirúrgicos e quimioterapia.

Como funciona uma consulta e tratamento de Medicina Tradicional Chinesa?
A MTC requer um bom e completo diagnóstico.

Na primeira consulta – dependendo do caso, uma consulta é suficiente – é efetuado um diagnóstico bastante completo, onde todos os sintomas ou manifestações são de extrema importância. O terapeuta preenche uma ficha de anamnese com os sintomas relatados, verifica o estado do pulso e da língua, os sinais corporais e confirma o diagnóstico e tratamento através da palpação dos pontos de acupuntura e meridianos, verificando a textura da pele, as tensões musculares, as aderências, a temperatura e muito mais.

Após concluído o diagnóstico o Terapeuta de Medicina Tradicional Chinesa procede ao tratamento, que irá depender do quadro individual de cada um. Poderá ser utilizada a Massagem TuiNá, a Acupuntura, Moxabustão, Ventosas, Emplastros e Cataplasmas de ervas, Óleos Essenciais, Gua Sha ou outras técnicas.

Antes de sair da consulta muito provavelmente irá levar consigo “tarefas” para casa. Nestas podem incluir recomendações alimentares, sobre o que deve evitar e o que deve incluir na sua dieta. Fitoterapia, recomendação de produtos ou plantas (ervas) para preparar um chá que deve-se beber todos os dias, ou ainda a prescrição de fórmulas a base de plantas. Emplastros ou cataplasmas podem também ser prescritos para ajudar na sua recuperação. Exercícios físicos ou práticas energéticas como o Qi Gong (chi Kung) ou Tai Ji (Tai Chi), e “mezinhas” para uma ou outra situação que possa necessitar.

Cuidados a ter antes, durante e após um tratamento de MTC
Evitar comer muito, 2h antes e depois da consulta;
Evitar estar com muito apetite ou com o estômago totalmente vazio durante a consulta;
Evitar ingerir bebidas alcoólicas, 2h antes e depois;
Evitar estar em contato com o vento e frio após a consulta, para tal traga consigo um casaco se o tempo assim o exigir;
Não ter relações sexuais imediatamente antes ou depois da consulta;
Evitar exercícios físicos muito intensos 2h antes de depois;
Evitar acessos emocionais após a consulta;
Procurar desligar o telefone durante a consulta;
Se possível, ir a consulta com calma e dentro do horário, é suposto relaxar e não estressá-lo;
Procure relaxar durante o tratamento, aproveite o momento para DESLIGAR e PARAR. Esqueça as preocupações e obrigações por alguns instantes. Irá sentir-se muito mais aliviado.[/vc_column_text][vc_cta_button title=”Voltar” target=”_self” color=”btn-info” icon=”none” size=”wpb_regularsize” position=”cta_align_right” href=”http://azclinic.pt/web/index.php/medicina-alternativa/” css_animation=”left-to-right”][/vc_column][/vc_row]